13 passos para você dominar o Google Analytics

13 passos para você dominar o Google Analytics

1024 683 Thaynna Guerra
  • 0

Neste post, você aprenderá os 13 passos que o levarão de iniciante a dominar o Google Analytics. Seguindo essas etapas, você coletará dados acionáveis que podem ser usados para se manter à frente da concorrência, tornando-se um profissional do Google Analytics em pouco tempo! E, mesmo que consiga aplicar algumas dessas etapas ainda hoje, você verá que existe uma implementação mais completa do Google Analytics que pode continuar sendo aperfeiçoada.

Vamos entrar e cobrir os 13 passos para dominar o Google Analytics!

Etapa 1 — Confira se os seus dados estão sendo coletados corretamente

Se você vai tomar decisões com base em dados gerados pelo Google Analytics, é importante que estes dados sejam confiáveis. Não tenha medo desta etapa. Caso você não vá realizar as checagens abaixo, é importante ao menos conhecê-las. Listamos alguns itens para você checar, mas uma análise mais aprofundada será necessária, de acordo com a complexidade e detalhamento dos comportamentos de usuários que estão sendo realizados. Vamos à lista:

  • Checar se todas as páginas estão tagueadas. Dica: garanta que os caminhos para a conversão estejam tagueados corretamente. Você pode utilizar o GAChecker , por exemplo, para checar se as suas páginas possuem as tags que precisa. Este serviço on-line irá checar não apenas as tags do Google Analytics, mas também do Google Tag Manager (GTM) e de outros produtos;
  • Verificar se os caminhos da conversão (pense no passo a passo que o usuário irá realizar até chegar à conversão) estão coletando os dados corretamente. Dica: Existe uma ferramenta gratuita, do próprio Google, que auxiliará você nesta atividade: Google Tag Manager;
  • Configurar os filtros corretos. É importante analisar os filtros atuais que você está utilizando. Filtros de exclusão e inclusão podem contaminar ou eliminar dados que você precisa para a análise;
  • Checar o redirecionamento. A presença de redirecionamentos que não sejam 301 pode interferir na coleta e gerar inconsistência dos dados. Para análise de um comportamento específico, você pode utilizar o http://www.redirect-checker.org/ ou utilizar ferramentas de SEO (ex.: Raven Tools ou outras) para identificar problemas.

Esses são os passos principais, mas você deveria incluir também a análise das configurações atuais do Google Analytics e do Google Tag Manager.

Etapa 2 — Estabeleça metas

As metas (goals) permitem que você entenda o desempenho do seu website e de seus canais de marketing. Elas registram no Google Analytics ações importantes que as pessoas estão realizando em seu website. Ou seja, os dados importantes para o seu negócio são gravados na ferramenta. Esses dados de metas ficarão disponíveis em vários relatórios do GA, auxiliando você a entender o comportamento dos seus usuários, desde o perfil demográfico até os principais canais e campanhas que trazem conversão. As metas podem ser configuradas para coletar:

  • Visitas a determinadas páginas — O preenchimento de formulários (ex.: formulário de contato, formulário de inscrição, download de determinado arquivo etc.). Esta coleta é realizada configurando o GA para acompanhar as pessoas que visualizam determinadas páginas de “agradecimento” em seu website;
  • Configurar metas com base em eventos, como assistir a vídeos e níveis específicos de envolvimento;
  • O comportamento de engajamento do usuário com o site também pode ser mensurado com a configuração de metas de tempo de permanência no website e número de páginas de visitas. Essa informação poderá auxiliá-lo a entender, por exemplo, conteúdos que são mais atraentes no engajamento com o site.

É uma boa ideia acompanhar seus objetivos principais (ex.: vendas) e secundários (aqueles que indicam um interesse do usuário, por exemplo: os que colocaram itens no carrinho). Esses objetivos são conhecidos como “macro” e “micro” conversões.

Etapa 3 — Tagueie campanhas de Inbound (marketing de conteúdo e redes sociais)

A utilização de tags para sua estratégia de Inbound permite compreender os links exatos em que as pessoas clicam para encontrar o seu website. E mesmo que você não possa taguear toda sua estratégia de Inbound, ao começar a usar tags de campanha, começará a entender o que está funcionando e o que não está funcionando. As tags de campanha podem ser usadas para rastrear tudo, desde suas campanhas de e-mail até campanhas off-line que direcionam as pessoas para seu website.

O Google fornece uma ótima ferramenta para começar: ela é chamada de URLs Builder . Assim que você se sentir à vontade, verá também que é possível criar tags de campanha sem o URL Builder. Entretanto, para organizar este trabalho de tagueamento você pode utilizar essa planilha no Google Drive para gerenciar suas campanhas.

Etapa 4 — Utilize o Google Tag Manager (GTM)

Com o Google Tag Manager, fica mais fácil e rápido adicionar tags do Google Analytics (e outras tags, por exemplo, tags Facebook, Adwords etc.) ao seu website. Usar o GTM significa que, quando você tem necessidade de coleta de dados adicionais, na maioria dos casos é possível adicionar esta coleta de dados sem precisar alterar o código no seu website. Por exemplo, se você quiser acompanhar as pessoas que assistem a vídeos do YouTube em seu website, realizam o scroll na tela, preenchem formulários ou até pessoas que trafegam entre dois domínios diferentes, você pode adicionar esses tipos de acompanhamento com a ajuda do Google Tag Manager. O uso do GTM ajuda a organizar a coleta de dados e gerenciar as informações necessárias com agilidade.

Etapa 5 — Implemente o acompanhamento de e-commerce

A implementação do acompanhamento de comércio eletrônico avançado  é importante se você está vendendo on-line, porque permite entender o valor de vários setores da sua loja (por exemplo: home, itens na vitrine, comportamento no carrinho, estoque etc.). Os relatórios de comércio eletrônico permitem que você veja os produtos que as pessoas estão comprando, o valor que o conteúdo do seu site está criando e como estão seus canais de marketing. Você também pode utilizar o acompanhamento de e-commerce para administrar as promoções internas do website.

A versão de “comércio eletrônico” do GA foi concebida para atender às demandas específicas daqueles que gerenciam lojas on-line. Para isso, foram criadas dimensões e métricas específicas, que não estão presentes na versão clássica do GA.

Este link da Google pode te ajudar a entender melhor sobre acompanhamento de comércio eletrônico

Etapa 6 — Integração Google Ads e Google Analytics

Vincular a conta do Google AdWords ao Google Analytics garante que você colete dados precisos de suas campanhas do Google AdWords. Você também pode extrair algumas métricas, como a taxa de rejeição do Google Analytics, para sua conta do Google AdWords. Se você ainda não tiver feito isso, vincule agora mesmo para entender como as campanhas pagas envolvem seu público-alvo quando ele clica no seu website.

Etapa 7 — Olhe além da atribuição do último clique

Olhar além do modelo de atribuição do último clique é essencial. A atribuição é a regra utilizada para definir como o crédito dado aos seus canais de marketing ocorre quando há uma conversão. Portanto, ao ultrapassar o modelo de atribuição de último clique, você pode entender melhor o desempenho de suas campanhas. Eu recomendo o modelo de desvalorização ao longo do tempo como um bom ponto de partida. Você pode encontrar relatórios relacionados à atribuição navegando até “Conversões” e depois “Funis multicanais”. Já a ferramenta de comparação de modelos pode ser encontrada em “Atribuição” no Google Analytics.

Etapa 8 — Configure os relatórios da pesquisa no site

Este passo é sobre configurar e usar os relatórios de pesquisa do site. Esses relatórios comunicam o que as pessoas estão pesquisando em seu website e podem fornecer informações valiosas em relação ao seu conteúdo, navegação e até mesmo sobre seus produtos e serviços. Se você não tiver uma função de pesquisa em seu website, convém adicionar uma. Elas constituem uma facilidade para que as pessoas encontrem o que procuram e você tem como vantagem adicional obter insights a respeito de o que as pessoas desejam.

Etapa 9 — Use segmentos

A aplicação de segmentos permite que você visualize dados mais detalhados sobre seu público. Por exemplo, se o seu público-alvo estiver em São Paulo, você poderá aplicar um segmento para visualizar apenas essa parte do tráfego. Já existem alguns importantes segmentos que estão disponíveis no Google Analytics. Por exemplo: usuários que converteram, sessões vindas de tráfego orgânico e pago, e muito mais. Você também pode criar seus próprios segmentos personalizados para atender às suas necessidades de relatórios e análises. Recomendamos que você comece criando e aplicando segmentos para os membros mais valiosos do público-alvo. Isso ajudará você a entender, sob diversos aspectos, como seus usuários/clientes estão encontrando e interagindo com seu website.

Etapa 10 — Entenda a terminologia

Esta etapa refere-se a entender a terminologia usada no Google Analytics. Por exemplo, saber a diferença entre um “usuário” e uma “sessão” ou entre “saída” e “rejeição”. Compreender o que vê nos seus relatórios é essencial para que você possa agir com base nos seus dados. 

Etapa 11 — Vincular o Google Search Console

Se você ainda não tem, é uma boa ideia vincular o Google Search Console e o Google Analytics. Isso ajudará você a entender o desempenho do seu site em resultados de pesquisa orgânicos ou gratuitos no Google. Você poderá ver e analisar o que as pessoas estão pesquisando no Google para encontrar seu website e quais páginas estão sendo exibidas nos resultados de pesquisa; dessa forma, poderá usar os relatórios para otimizar seu conteúdo e aumentar o tráfego do Google.

Etapa 12 — Compartilhe seus dados

Ao oferecer a mais pessoas na sua organização acesso a informações e insights, é mais provável que elas procurem maneiras de melhorar o site e o marketing. Além de fornecer às pessoas acesso aos seus relatórios do Google Analytics, você também pode criar painéis e relatórios personalizados no GA.

Você pode usar o Google Data Studio para necessidades de relatórios mais sofisticados. Se você ainda não tomou conhecimento do Google Data Studio, recomendo que confira. É uma plataforma fantástica para criar relatórios e painéis. Você pode até combinar dados de diferentes origens, incluindo o Google Analytics, o Google AdWords, o YouTube, Planilhas Google e muito mais.

Etapa 13 — Saiba mais sobre os recursos avançados

E a última etapa é conhecer os recursos avançados disponíveis no Google Analytics. Novos recursos e relatórios estão sendo adicionados o tempo todo e é importante manter-se atualizado com os últimos desenvolvimentos. Só para reforçar: não estou dizendo que você precisa usar todos os recursos ou relatórios. É realmente sobre como usar o que ajudará você a alcançar seus objetivos. Ao saber o que está disponível, você estará em uma posição melhor para decidir se deve implementar um recurso ou usar um relatório para sua organização.

Conclusão

Então, esses são os 13 passos para dominar o Google Analytics. Existem várias maneiras de usá-lo, mas a mais eficiente é encontrar e utilizar os relatórios que ajudam você a alcançar seus objetivos e a melhorar o desempenho. Mesmo gastando um pouco de tempo por semana no GA, você pode aumentar seus conhecimentos e habilidades, além de melhorar seu website e suas campanhas. Lembre-se de que você não precisa concluir todas essas etapas hoje; mesmo o uso de apenas um único relatório ou a realização de somente uma dessas etapas, pode ter um impacto.

Então, o que você está esperando?

É hora de fazer login no Google Analytics, carregar seus relatórios, definir suas metas e começar a acompanhar as melhorias que você está fazendo no seu website e nas suas campanhas. Você pode e conseguirá dominar o Google Analytics!

Mais dicas valiosas para você:

Curso Gratuito Fundamentos de Google Analytics

Curso Gratuito Otimização de CRO

Tudo sobre KPI’s

 

Deixe uma resposta

O seu email não será publicado.